Blog com notícias de Janaúba e região!

sábado, 28 de janeiro de 2017

Israelenses ajudarão flagelados da seca do Norte de Minas

No destaque, o secretário da Sedinor com os israelenses

(Por GIRLENO ALENCAR) O Norte de Minas usará a tecnologia de Israel para enfrentar a falta de água para consumo humano e até mesmo da produção agrícola. O assunto foi discutido quarta-feira em Belo Horizonte pelo secretário estadual de Desenvolvimento do Norte e Nordeste de Minas (Sedinor), Gustavo Xavier, com comitiva de Israel, liderada pelo ministro encarregado de negócios, Itay Tagner, e o assessor econômico, Alex Bekker. No mês de abril uma comitiva do Governo de Minas e lideranças do Norte de Minas estariam em Israel, mas o ministro israelense pediu que fosse adiada para setembro, quando será realizada o Congresso Internacional das Águas, em Jerusalém.

A reunião ocorreu no Palácio Tiradentes da Cidade Administrativa e contou com as presenças da presidente do IGAM, Maria de Fátima Chagas; da presidente da Copasa, Sinara Meireles; o assessor de Educação Ambiental e Relação Institucionais da Semad, André Luis Ruas, e o assessor de Relações Internacionais Hugo Salomão. Na reunião, os assuntos voltados para a escassez hídrica e a gestão das águas no semiárido mineiro ganharam destaque, uma vez que Israel é um país com pouca água e quantidade de chuva que chega a 0 mm por ano e com temperaturas em torno de 42 a 45°C.

O ministro israelense afirma que “70% de todo o Estado de Israel é deserto e em alguns locais, chove em torno de 18 a 20 milímetros por ano. Aprendemos a cultivar em solos precários. Nós realmente não temos escolhas. Temos tecnologias e técnicas para o cultivo em terra, já que não chove”, contou Itay. Ele ressaltou que o governo de Israel, em pesquisas iniciais, já percebeu que Minas Gerais tem um potencial enorme. “Uma coisa que notei é o gerenciamento de crise hídrica adotada pela Sedinor. Podemos, com toda certeza, discutir sobre nossas tecnologias. Tecnologias como estabilização e redistribuição da água e muitas outras. Algumas das tecnologias apresentadas são muito interessantes e com certeza temos muito que aprender com vocês. E não só apenas aprender, mas compartilhar o que sabemos também” destacou Tagner.

O secretário estadual Gustavo Xavier falou sobre a possibilidade de um termo de cooperação técnica para o compartilhamento de saberes e tecnologias. “Israel está muito avançado no combate à seca e na gestão de recursos hídricos, devido às condições de escassez de água. Da mesma forma que Minas Gerais está de portas abertas para fornecer as nossas tecnologias, também temos muito interesse de conhecer as formas com que Israel lida com a falta d’água”, salientou.

Ainda na reunião, a presidente da Copasa, Sinara Meireles, apresentou sobre a gestão e o controle do fornecimento de água tratada em Minas Gerais, o gerenciamento de concessões, além de detalhar sobre o funcionamento da Copasa Serviços de Saneamento Integrado do Norte e Nordeste de Minas Gerais (Copanor), criada com o objetivo de atender aos municípios com menores IDHs e que mais sofrem com a escassez de água. Já a presidente do IGAM, Maria de Fátima Chagas, falou sobre a gestão das águas, que envolve as principais bacias hidrográficas do estado, pontuando os desafios para manutenção e preservação dos mananciais.

Para dar continuidade à troca de experiências, o ministro Itay Tagner propôs trazer a Minas Gerais, no mês de março, um especialista em controle e planejamento do uso da água. Nos meses de maio e junho, ele pretende enviar ao estado outro especialista da Companhia de Água de Israel, com experiência na área de desenvolvimento e resolução dos problemas. Ele também convidou representantes do Governo de Minas Gerais para participarem, no mês de setembro, do Congresso Internacional de Água, o Watec, que será realizado em Israel e vai discutir tecnologia da água e controle ambiental.

Em Taiobeiras, PM encontra moto de vítima que foi amarrada durante roubo


Policiais militares apreenderam uma motocicleta nesta sexta-feira (27) em Taiobeiras, no Norte de Minas. O veículo havia sido roubado de um homem de 42 anos no dia 20, no distrito de Mirandópolis.

A vítima relatou aos militares que seguia em direção ao distrito quando foi abordada por três homens armados. Eles o levaram para uma mata e o amarraram em uma árvore. A vítima contou também, que conseguiu se soltar momentos depois, mas os três criminosos já haviam fugido levando a motocicleta e o capacete.

A PM fez buscas na região, mas os autores não foram localizados. Nesta sexta-feira, policiais receberam informações de que o veículo estava escondido em um matagal, no Bairro Planalto. Eles foram ao local e localizaram a motocicleta escondida. Militares realizam buscas para tentar localizar os possíveis autores do roubo, mas até a publicação desta matéria, ninguém foi preso.


Fonte: G1

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Rapaz é preso suspeito de matar adolescente em Capitão Enéas

Um jovem de 19 anos foi preso nesta sexta-feira (27) suspeito de ser o autor de um homicídio em Capitão Enéas, no Norte de Minas. O crime foi no Bairro Manoel Vaqueiro, na noite desta quinta-feira (26).

Testemunhas relataram que a vítima, um adolescente de 17 anos, estava na Rua J quando foi atingido por disparos de arma de fogo. Um vizinho socorreu a vítima, mas ela chegou à unidade hospitalar sem vida. O médico de plantão constatou uma perfuração nas costas do rapaz.

A polícia recebeu informações de que o autor do disparo seria um rapaz que teria descoberto uma traição da ex-mulher com a vítima. A denúncia relatou também que o suposto autor estaria tentando fugir da cidade.

Os militares foram até a casa do rapaz, mas ele negou a autoria do crime. Porém, deu informações contraditórias sobre locais onde estaria na hora do assassinato, cintando inclusive algumas pessoas que estariam com ele. Os militares localizaram as pessoas, que não confirmaram as informações passadas pelo suspeito, que foi detido.


Pablo de Melo
pablo-labs@hotmail.com

Fonte: G1

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Macacos mortos em Janaúba acendem luz amarela

No destaque, os participantes de uma reunião, que aconteceu no Exército

(Por Girleno Alencar) A morte de quatro macacos no distrito de Barreiro da Raiz, na zona rural de Janaúba, acendeu a luz amarela para o risco de a febre amarela chegar a esse município do Norte de Minas. As ossadas foram encontradas pelos moradores e na terça-feira uma equipe do Centro de Controle de Zoonose foi ao local para recolher os materiais. Na cidade de Montes Claros, na segunda-feira, foram encontrados dois corpos de macacos. Na semana retrasada, uma mulher que veio da região de São João da Ponte apresentou os sintomas da febre amarela e foi internada no Hospital Universitário. Os exames mostraram que o caso dela foi de hepatite, para alivio das autoridades sanitárias. As investigações foram concentradas no distrito de São Joaquim, em Januária, onde residia um pedreiro que morreu em Brasília.


O município de Montes Claros pediu o aumento da quantidade de vacinas para atender à população, por causa da grande procura. O pleito foi de 100 mil vacinas, mas, de imediato, serão liberadas apenas 1.000. Porém, as autoridades sanitárias foram informadas que em novembro do ano passado o Estado passou material para atender a população da zona rural de Montes Claros, diante da constatação de um caso positivo de macaco com febre amarela em Barreiras. Porém, o trabalho deixou de ser feito, o que deixou a população com risco de pegar a doença. O desleixo foi comunicado oficialmente na terça-feira, quando ocorreu debate sobre a propagação da febre amarela e a necessidade de capacitar os militares nessa área. A Superintendência Regional de Saúde informou que foram 41 macacos mortos no Norte de Minas, virando casos suspeitos, mas nenhum confirmado.

Foi celebrado um acordo entre a Prefeitura de Montes Claros e 55º Batalhão do Exército, que aderirá a campanha de prevenção a febre amarela, dengue e outras tarefas. A proposta é realizar o Dia D, em Montes Claros, visando eliminar todos os focos possíveis. O procurador geral do município, Otávio Batista Rocha Machado e equipe estiveram na unidade do Exercito, quando acertou a parceria.

Irrigação no projeto Gorutuba pode ser suspensa por conta da estiagem

No destaque, um dos canais de irrigação

(Por José Ambrósio Prates) A estiagem que assola o Norte de Minas e especificamente Janaúba poderá provocar a suspensão da irrigação no Projeto Gorutuba e com isso, comprometer a produção agrícola. É que as chuvas salvadoras de janeiro de 2016 não se repetiram em 2017. No ano passado, em menos de 30 dias foram quase 500 milímetros de chuvas, enquanto até agora foram apenas 41 milímetros. No janeiro de 2016 as chuvas foram equivalente a 63% de todo o período chuvoso do ano e o resultado foi os rios cheios e uma elevação de cinco metros na barragem do Bico da Pedra que estava em estado crítico. Agora, novamente a barragem se encontra em situação de alerta máximo.

A diferença é a quantidade das chuvas no primeiro mês do ano: diferente da fartura de 2016, janeiro deste ano apresentou registro de chuvas em apenas quatro dias do mês, totalizando 41 milímetros, cerca de 10 vezes menor que no período anterior. As esperanças agora se voltam para os últimos dois meses de chuva, fevereiro e março. Para continuar mantendo em funcionamento um dos mais importantes sistemas de irrigação da região, o nível da represa precisa subir pelo menos quatro metros. Atualmente ele se encontra cerca de dois metros abaixo desta mesma época no ano passado.

Pelo que determina o protocolo assinado com o Instituto Mineiro de Gestão das Águas (IGAM), a barragem do Bico da Pedra tem menos de três metros de água que podem ser destinados à operação do projeto de irrigação do Gorutuba. Esgotada essa última reserva, restará apenas a água destinada ao consumo humano. Segundo informações da Copasa, não há de forma imediata motivos para alarme, já que a água é suficiente para garantir a consumo humano durante todo o período de seca. Para a atividade econômica, no entanto, se não houver uma chuva mais constante até o fim do período, a estimativa é que o projeto de irrigação seja paralisado até o mês de maio.

Banco de Janaúba é condenado a indenizar funcionário

Transferir o risco de uma atividade de trabalho para o funcionário resulta em enriquecimento ilícito da empresa, já que ela buscou economizar com segurança. Com esse entendimento, o juiz Marco Antônio Silveira, da Vara do Trabalho de Janaúba (MG), condenou um banco a indenizar um bancário que transportava em seu carro particular grandes quantias de dinheiro entre agências. O Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região aumentou a indenização de R$ 20 mil para R$ 40 mil.

No caso, um bancário transportava em seu veículo particular, pelo menos uma vez por mês, valores que variavam entre R$ 20 mil e R$ 50 mil das agências bancárias de Janaúba e Jaíba, destinadas ao Posto de Atendimento de Verdelândia (MG).

Para o juiz, essa prática resultava em enriquecimento ilícito do banco, que transferia ao empregado o risco de seu negócio ao deixar de contratar empresa especializada ou corpo de vigilantes próprios, na forma legalmente prevista. Na visão do magistrado, o bancário deve ser indenizado, não em razão do risco potencial, mas em razão do princípio da alteridade, segundo o qual os riscos do empreendimento devem ser suportados pelo empregador.

Concluindo que o banco transferiu o risco e custo do negócio para o empregado, e atento à teoria do dano punitivo como parâmetro para fixação da indenização dos danos, o juiz condenou o banco a indenizar o bancário. Essa condenação, segundo esclareceu, visa compensar a angústia a que o empregado foi submetido por transportar quantias consideráveis de dinheiro, sem nem sequer receber qualquer valor pela utilização de veículo próprio em benefício da empregadora.


Pablo de Melo
pablo-labs@hotmail.com

Ministério Público de Minas denuncia fraudes no pagamento de indenizações do DPVAT

A fraude inclui compra e venda de informações sobre pessoas acidentadas

(Hoje em Dia) Uma investigação realizada pelo Ministério Público de Minas Gerais revela fraudes no pagamento do seguro DPVAT. Segundo a legislação em vigor, o pagamento das indenizações do seguro DPVAT – decorrente de acidentes de trânsito – deve ser reclamado pela via administrativa. No entanto, após ocorrer o recebimento dessas indenizações, os fraudadores ingressam com ações na Justiça pedindo o pagamento de valor complementar, sob a falsa alegação de que, em razão do acidente sofrido, a vítima ficou permanentemente inválida.

A fraude inclui compra e venda de informações sobre pessoas acidentadas, pagamento de indenizações com base em boletins de ocorrência e laudos médicos falsificados, ajuizamento de ações judiciais sem o conhecimento da parte autora, ajuizamento de ações idênticas, de forma simultânea, em comarcas distintas, entre outras ilegalidades.

A apuração teve início quando membros do Poder Judiciário denunciaram a atuação de organizações criminosas em fraudes milionárias contra o seguro DPVAT, com a participação de advogados, empresários, diretores da empresa que administra o seguro, policiais civis e militares e profissionais de saúde, como médicos, dentistas e fisioterapeutas.

Em abril de 2015, o MPMG, por meio da Coordenadoria Regional de Defesa do Patrimônio Público do Norte de Minas, em conjunto com as polícias Federal e Militar, deflagrou a operação Tempo de Despertar, que cumpriu 41 mandados de prisão temporária nas comarcas de Montes Claros e Janaúba.

De acordo com o promotor de Justiça Paulo Márcio da Silva, trata-se de sofisticadas organizações criminosas que vêm atuando de forma sistêmica em todo o território nacional. Ele chama a atenção ainda para o fato de que a utilização dos recursos arrecadados anualmente pelo seguro DPVAT, cerca de R$ 10 bilhões, não está sujeita a qualquer tipo de controle ou fiscalização. Foram propostas ações penais em Montes Claros, Janaúba, Pirapora, Arinos e Buritis e outros inquéritos estão em andamento.

Janaúba: Mulher é presa por envolvimento em morte de jovem

Mulher foi presa pela PC nesta quarta-feira

A Polícia Civil prendeu nesta quarta-feira (25) uma mulher de 21 anos apontada como envolvida na morte de um rapaz na cidade de Janaúba. O crime foi no dia 13 de dezembro de 2016, no Bairro Dente Grande. A PC afirma que a vítima foi atingida por 15 tiros após participar de uma festa de aniversário.

A PC afirma também que Tâmara Pereira Gonçalves participava da festa quando a vítima teria oferecido uma bebida a ela, que não gostou e contou a seu esposo, um traficante na região. Após o término da festa, um grupo, liderado pelo esposo de Tâmara, se aproximou da vítima e efetuou vários disparos.

Segundo as investigações, seis pessoas participaram do crime; três atiraram no jovem. Nesta quarta-feira, policiais civis conseguiram cumprir um mandado de prisão preventiva contra Tâmara Gonçalves na casa dela, no Centro da cidade. De acordo com os policiais, ela confirma detalhes apurados na investigação.

No dia 29 de dezembro, a PC conseguiu localizar e prender um homem de 22 anos; ele continua no presídio da cidade. No mesmo dia, um adolescente foi detido e encaminhado ao Centro Socioeducativo Nossa Senhora Aparecida (Cesensa), em Montes Claros.

A polícia informou que o esposo de Tâmara, Jadson Vasconcelos de Menezes, de 27 anos, e dois irmãos, de 17 e 21 anos, continuam foragidos.


Pablo de Melo
pablo-labs@hotmail.com

Fonte: PC e G1

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Frutas produzidas no Norte de Minas serão expostas na Alemanha

Frutas do Norte de MG ganham cada vez mais
aceitação em vários países

(G1) Pela nona vez, produtores rurais da Associação Central dos Fruticultores do Norte de Minas (Abanorte) viajam à Alemanha para expor frutas produzidas na região durante a feira mundial de agricultura, a Fruit Logistica, que ocorrerá entre os dias oito e 10 de fevereiro, em Berlim.

Segundo a organização do evento, em 2016 foram mais de 2884 expositores, representando 83 países; cerca de 70 mil pessoas visitaram o evento. A participação da Região do Jaíba na feira conta com a coordenação da Associação Brasileira dos Produtores Exportadores de Frutas (Abrafrutas), que organiza o espaço dedicado ao Brasil na feira.

O presidente da Abanorte, Saulo Bresisnki, ressalta a importância da participação e o destaque da região em um evento que reúne os melhores fruticultores do mundo. “Estamos na feira desde 2008 e cada vez mais fortalecendo a nossa marca, que é a Região do Jaíba, e também mostrando o que produzimos de melhor. A manga e o limão já são exportados em larga escala para vários países”.

Saulo ainda destaca que pelo segundo ano consecutivo as frutas serão expostas em uma das maiores lojas de departamento da Alemanha durante o período da feira. “A loja conta com uma ampla área de produtos gourmet de todo o mundo. O convite para expor as frutas do Região do Jaíba aconteceu após a apresentação do conceito da marca durante a Fruit Logistica em 2015”, afirma.

Identificação
Bresisnki explica o motivo da criação da marca Região do Jaíba e os selos que as acompanha como uma forma de identificação da qualidade e localização dos produtos.

“Esse tipo de identificação foi criado para que os consumidores não sejam enganados e paguem mais caro por um produto de outra marca. As frutas são acompanhadas por um selo onde nele tem um QR Code, um tipo de código de barras, que através de um aplicativo em qualquer smartphone possa saber quem são os produtores, de onde essa fruta veio e como é o processo de produção”, afirma.

A gerente geral da Abanorte, Ivanete Pereira, salienta que não basta participar uma vez, mas sim ir conquistando espaço em outros mercados consumidores. “Estamos aprimorando cada vez mais, para que a marca seja reconhecida com bons frutos, por isso os produtores têm um cultivo rigoroso em suas plantações”.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Em Janaúba homem de 44 anos é assassinado a tiros

Um homem, João Barbosa dos Santos, de 44 anos foi assassinado a tiros em Janaúba, na manhã desta segunda-feira (23). Segundo a Polícia Militar, o crime foi na Rua Salviana Caldas, no Bairro Boa Vista.

Uma equipe do Samu também foi acionada e o médico constatou o óbito da vítima. Um perito da Polícia Civil também esteve no local do crime e recolheu alguns projeteis e estojos de munições próximo ao corpo da vítima.

Durante o registro do boletim de ocorrência, a PM recebeu informações das identidades dos autores do homicídio. Policiais fizeram buscas na região, mas até o início da tarde desta segunda-feira ninguém havia sido preso. A motivação do crime é desconhecida.


Pablo de Melo
pablo-labs@hotmail.com

Fonte: PM e G1

domingo, 22 de janeiro de 2017

Oito municípios de Minas Gerais têm recursos do FPM bloqueados pela Receita Federal

O Tesouro Nacional bloqueou, na sexta-feira (13/1), todos os repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) de oito municípios mineiros que não cumpriram com suas obrigações fiscais e financeiras no último exercício. Pelo fato de o fundo ser um dos principais meios de receita das administrações municipais, essas prefeituras terão problemas para arcar com gastos e investimentos necessários, como coleta de lixo, educação infantil e saúde.

De acordo com o Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi), do governo federal, foram bloqueados temporariamente os repasses para as cidades de Águas Vermelhas, Araguari, Caratinga, Fronteira dos Vales, Jequitaí, Natalândia, Santo Antônio do Jacinto e Vargem Grande do Rio Pardo.

Localizada no Triângulo Mineiro, Araguari é a cidade mais desenvolvida e rica do grupo. Em 2016, o repasse do FPM para os caixas da prefeitura representou um valor de quase R$ 32 milhões. Para a secretária de Administração da cidade, Tereza Cristina, a ausência dessa receita resultaria em uma grande dificuldade para os serviços cotidianos do município. “O orçamento é de quase R$ 300 milhões, ou seja, o FPM representa um valor altíssimo e essencial para nosso caixa. Não tem como a cidade funcionar sem esse dinheiro”, garante a chefe da pasta, que responsabiliza a última administração pelo bloqueio. “O antigo prefeito perdeu prazos de pagamento, não pagou nos últimos meses algumas obrigações de servidores nem o 13º. Então, o bloqueio se deve a isso”.

Realizado mensalmente, o bloqueio do FPM acontece a partir das irregularidades apresentadas pelos municípios. Na maioria dos casos, a proibição do repasse ocorre por conta da falta de pagamentos do Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep). Os recursos utilizados no fundo são arrecadados por meio do Imposto de Renda e de impostos sobre produtos industrializados.

Mais um
Com um Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) pior do que o da Zâmbia e da Gana, na África, o município de Santo Antônio do Jacinto, no Vale do Jequitinhonha, também tem os repasses do FPM bloqueados, segundo divulgação do Tesouro Nacional. O prefeito Emerson Ruas (PRB), no entanto, afirma desconhecer a informação. “Aqui nunca teve bloqueio de nada, inclusive fechamos o último ano sem dívidas e com todas as certidões negativas”, garante.

Santo Antônio do Jacinto, de fato, consta no sistema do Ministério da Fazenda como município com todas as contas comprovadas e aprovadas. A cidade, porém, aparece na lista, já que a validade da comprovação desses pagamentos estava vigorando só até essa terça-feira (17). Em 2016, a cidade recebeu R$ 7,5 milhões por meio do fundo.

Em Fronteira dos Vales, perda seria de 33,3%
Em Fronteira dos Vales, no Vale do Mucuri, o peso que o bloqueio pode representar é enorme. Em 2016, a previsão total de arrecadação do município era de 16,8 milhões. O FPM representa R$ 5,6 milhões, ou um terço de tudo o que a cidade tem à disposição para honrar seus compromissos.

No município, que também tem um IDH semelhante ao de países subdesenvolvidos, o bloqueio acontece sem que o ex-prefeito Hayden Matos (PT) conheça os motivos. “Recebi a informação até com certa surpresa, já que deixamos a administração com R$ 500 mil nas contas do fundo e quase R$ 1,5 milhão nos convênios”, garante o petista. Ele endossou o discurso feito pela secretária de Araguari e garantiu que seria muito difícil o município sobreviver sem essa verba.

Ameaça
No Brasil, o bloqueio do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) pela Receita Federal ainda atingia, até essa quarta-feira (18), 180 municípios. Cerca de 20 outras prefeituras já haviam conseguido resolver a situação.
De acordo com a Confederação Nacional dos Municípios (CNM), a maior parte da receita orçamentária de cerca de 80% dos municípios brasileiros provém de transferências de recursos da União ou dos respectivos Estados, com especial destaque para o FPM.

Segundo nota técnica da entidade, prefeituras com o bloqueio decretado no último dia 13 poderão não receber parte do FPM prevista para liberação nesta sexta-feira (20).
“O bloqueio do FPM é realizado todo dia 13 de cada mês pelo sistema da Receita. Essa situação impossibilita a utilização, pelo município, dos recursos creditados a partir do segundo decêndio do mês. O recurso, mesmo bloqueado, pode ser visualizado no extrato da conta pela consulta pública do Banco do Brasil, mas fica impossibilitado o seu uso para saques, transferências, pagamentos, investimentos”, explica a nota da entidade.

O bloqueio é determinado pela União, por meio de seus órgãos como Receita, Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN), Secretaria do Tesouro Nacional e Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, ou ainda por sentença judicial.


Pablo de Melo
pablo-labs@hotmail.com

Homem mata primo que saiu com sua ex-mulher, em Montezuma

Policiais Militares de Montezuma fizeram rastreamento
ininterrupto até chegarem ao autor do homicídio

Um homem, de 34 anos, foi preso na manhã deste domingo (22) depois de matar o companheiro da ex-mulher dele, de 31, na madrugada desse sábado (21), em Montezuma, no Norte de Minas. Para a PM, ele confessou o crime e não resistiu a prisão. A ex-mulher dele, de 28 anos, não ficou ferida durante o crime. A vítima era prima do autor, segundo a PM.

A polícia chegou até o homem depois de receber informações sobre a rota de fuga dele. Ele foi encontrado pelos militares, dentro de um carro, já em uma rodovia de acesso à Bahia, na comunidade de Estiva, zona rural de Montezuma.

"Depois do crime, começamos o rastreamento de forma ininterrupta e, a todo momento, chegavam informações anônimas sobre o possível paradeiro dele. Quando o encontramos em uma estrada vicinal ele estava dentro de um carro provavelmente pronto para fugir. Ele ficou tranquilo e confessou ter matado o primo por não aceitar o fim do relacionamento dele com a ex-mulher, há um mês. O carro em que ele estava foi entregue a um familiar.", explica o Sargento Wagner Vilela.

O crime aconteceu depois que a ex-esposa e a vítima voltavam de um forró. O autor, armado com um pedaço de pau e um punhal, esperou pelas vítimas em uma curva do caminho em que eles passavam em uma motocicleta. De acordo com a PM, o homem desferiu uma paulada na cabeça da vítima e, quando ela caiu da moto, efetuou várias facadas no corpo do homem, que morreu no hospital de Rio Pardo de Minas. O autor ainda tentou matar a ex-mulher mas ela conseguiu fugir depois da queda da moto.

"Eles têm uma filha de oito anos, tempo do relacionamento. O punhal, que ele utilizou para matar o primo, não foi encontrado. O homem foi entregue na delegacia de Rio Pardo de Minas para as providências da Polícia Civil. ", completa o sargento.


Pablo de Melo
pablo-labs@hotmail.com

Fonte: G1