Blog com notícias de Janaúba e região!

terça-feira, 10 de julho de 2018

Janaúba: Perseguição, incompetência e reajustes abusivos se tornam marca registrada da gestão tucana de Carlos Isaildon

Os impostos em Janaúba em alguns casos tiveram
alta de mais de 200% de um ano para o outro.

O coronelismo típico de cidades pequenas, que em pleno século XXI teima em resistir no Brasil, parece estar presente mais do que nunca na gestão que se encontra a frente de Janaúba. Descendente de políticos que comandaram a cidade de Riacho dos Machados no passado, o prefake Carlos Isaildon tenta implantar uma ditadura municipal a trancos e barrancos.

Imposição ou indisposição? Realmente não sei qual seria a melhor referencia para a atual gestão, mas as duas são pertinentes para caracterizar um politico que envolto em um cinismo tamanho conseguiu seduzir por muito tempo aliados, amigos e eleitores. Porém, como um dos seus companheiros sempre diz, “uma hora a casa cai”. E não caiu, mas desabou. Hoje o tucano enfrente dois processos de cassação, sendo que conseguiu uma pausa à custa de uma liminar que poderá cair a qualquer momento. Ou seja, se escapar de um, já tem outro o aguardando.

Não bastasse a fúria e ódio que descarrega sobre os servidores efetivos que não se aliaram a canalhice que chamam de gestão, o tucano ainda tem massacrado empresários e população, com impostos e taxas que sofreram em alguns casos mais de 500% de reajustes em menos de 1 ano. Além de ter que lidar com uma administração inoperante, ineficiente, incompetente, temos que pagar a conta do caos instalado na prefeitura de Janaúba desde o dia 1º de janeiro de 2017.

Uma dúvida ainda assombra os pensamentos dos gorutubanos, o que é pior? Uma câmara acovardada e amedrontada que não consegue entender que a população não quer mais o atual prefeito, portanto precisam atuar para prosseguir com o processo de cassação? Ou um prefeito rancoroso que deixa a população definhar nos hospitais sem atendimento digno e ainda cobra valores surreais por uma gestão que não existe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário