Blog com notícias de Janaúba e região!

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Campanha de sensibilização para a coleta do lixo é realizada na Cidade de Janaúba

(ASCOM) Para garantir a limpeza da Cidade de Janaúba a Prefeitura Municipal realiza a campanha de sensibilização e educação ambiental Janaúba Limpa. Essa promoção é feita pela Secretaria de Obras e Serviços Urbanos, através do departamento de Limpeza Urbana, e pela Secretaria de Agronegócio e Desenvolvimento Sustentável. A campanha consiste na divulgação da necessidade da união de todos os moradores da cidade para manter limpas as ruas e calçadas possibilitando também a manutenção de um ambiente sadio e livre de resíduos poluentes. Para isso, a prefeitura divulga os horários da coleta de lixo a fim de que os cidadãos se programem para colocar o lixo para fora das residências de acordo com o horário de recolhimento feito pelo caminhão e pede a colaboração dos cidadãos.
Segundo a Fiscal de Meio Ambiente da Secretaria Municipal de Agronegócio, Luciana Costa, a campanha vai além de uma conscientização e busca também o compromisso da sociedade que tem que se mobilizar para manter a cidade limpa. “A Cidade de Janaúba tem hoje cinco carros compactadores de lixo que circulam dentro da cidade, além de seis caçambas que ajudam na coleta. Uma retroescavadeira e uma pá carregadora também são utilizadas para a limpeza do município. No entanto, não adianta que as máquinas façam o trabalho de limpeza se não houver a conscientização por parte da população em colaborar com esse serviço. Com a campanha Janaúba Limpa queremos despertar o interesse coletivo de se manter as ruas e avenidas do município em que moramos sempre limpos. Para que isso aconteça, não basta apenas que o caminhão de lixo passe nas ruas ou que o gari faça o serviço de limpeza. É necessário que cada morador evite colocar os sacos de lixo na calçada após o caminhão que recolhe o lixo passar, ou um dia antes disso acontecer. Isso evita que o lixo se espalhe pelas ruas e mantém o aspecto limpo e organizado em nossa cidade”.  
A Campanha traz também a necessidade da separação do lixo produzido pela sociedade a fim de que esse possa ter a destinação correta. “Separar o lixo seco do úmido facilita o processo de reciclagem dos resíduos produzidos e contribui também para manter a vida útil do aterro sanitário que temos no município. Assim, cada cidadão deve colocar em sacos diferentes o lixo de residências ou comércio para que na hora que o caminhão da coleta convencional, ou o caminhão da coleta seletiva passarem nas ruas, o morador possa retirar o lixo já separado de dentro de casa e dar a ele um destino certo”, ressalta Luciana. Para informar a população sobre essa necessidade de separação do lixo, blitz nas ruas, capacitações em escolas e palestras educativas já estão programadas para acontecer em toda a cidade. Além disso, a implantação de mais lixeiras já está sendo viabilizada através da busca de recursos para garantir que os janaubenses tenham onde jogar o lixo quando estiver andando pelo município.
Ajude a manter a Cidade de Janaúba limpa! Coloque seu lixo de acordo com o horário da coleta do seu bairro.

BAIRROS

DIAS

HORÁRIOS



Centro

Segunda a Sexta

Sábado

Domingo

Das 17 às 23 horas

Das 14 às 18 horas

Das 07 às 11 horas

Barbosas

Terça, Quinta

Sábado

Das 14 às 20 horas

Das 12 às 18 horas

Cerâmica

Segunda, Quarta e Sexta

Das 14 às 20 horas

Dente Grande

Terça, Quinta e Sábado

Das 07 às 13 horas

Dona Lindú

Quarta e Sábado

Das 07 às 13 horas

Esplanada

Terça e Quinta

Sábado

Das 17 às 23 horas

Das 12 às 18 horas

Gameleira

Terça, Quinta e Sábado

Das 07 às 13 horas

Nova Esperança

Segunda, Quarta e Sexta

Das 17 às 23 horas

Novo Paraíso

Segunda, Quarta e Sexta

Das 07 às 13 horas

Padre Eustáquio

Segunda, Quarta e Sexta

Das 07 às 13 horas

Pedra Preta

Segunda e Quinta

Das 07 às 13 horas

Planalto

Segunda, Quarta e Sexta

Das 07 às 13 horas

Ribeirão do Ouro, Joaquim Bispo e Casas Populares

Segunda, Quarta e Sexta



Das 07 às 13 horas

Rio Novo

Segunda, Quarta e Sexta

Das 07 às 13 horas

Santa Cruz

Terça, Quinta

Sábado

Das 14 às 20 horas

Das 12 às 18 horas

Santa Teresinha

Terça, Quinta

Das 14 às 20 horas

Santo Antônio

Segunda, Quarta e Sexta

Das 07 às 13 horas

São Gonçalo

Terça, Quinta e Sábado

Das 07 às 13 horas

São Lucas e Boa Vista

Segunda, Quinta e Sábado

Das 07 às 13 horas

Saudade

Segunda, Quarta e Sexta

Das 07 às 13 horas

Veredas

Terça, Quinta e Sábado

Das 07 às 13 horas

Vila Isaías e Parte das Casas Populares

Terça, Quinta e Sábado

Das 07 às 13 horas

Vila São Vicente e Algodões

Segunda, Quarta e Sexta

Das 14 às 20 horas

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Jaíba sofre com criminalidade

No último dia 8, militares foram acionados para prender suspeitos de roubo a farmácia
(O Tempo) De um lado, a formação do maior projeto de cultivo irrigado da América Latina. De outro, a violência crescente combinada com a falta de estrutura em segurança pública. As duas situações são vivenciadas pelos moradores de Jaíba, no Norte de Minas, que não têm sequer uma cadeia ou um fórum para agilizar os processos de prisão. Na delegacia e no posto da Polícia Militar (PM), faltam viaturas para atender as ocorrências, e o déficit do efetivo passa de cem policiais.
“Tudo isso em um município que tem recebido cada vez mais imigrantes e empresas de fora, atraídos pela fruticultura”, pondera o presidente do Conselho de Segurança Pública de Jaíba (Consep), César Luiz da Silva. Só de janeiro a julho deste ano, a cidade já teve 11 homicídios, quase o total registrado em todo o ano passado – 13 assassinatos. A taxa foi de 3,27 mortes para cada 10 mil habitantes, índice que é, proporcionalmente, duas vezes maior que o registrado no mesmo período em Belo Horizonte, que teve 380 assassinatos e taxa de 1,6.
Já os crimes violentos em geral chegaram a 48 ocorrências, o que também se aproxima do total registrado em 2012 (51) e supera o de 2011 (47). Diante da situação, os moradores resolveram investir em soluções com recursos próprios. Das quatro viaturas da Polícia Militar que estavam estragadas, uma já foi consertadas e outras duas estão em manutenção. Duas motos também passaram pela revisão e já circulam.
As melhorias foram viabilizadas com apoio de associações e empresas. A Associação Regional de Proteção do Meio Ambiente (Arpa) fez doação de R$ 6.800, por meio de parceria com a Polícia Militar Ambiental, para reformar um carro da corporação. Já a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) fez um empréstimo de R$ 2.030 ao Consep para o conserto das duas motocicletas. “A PM estava rodando com uma viatura só, que tinha a roda quebrada. Não tinha jeito de a polícia trabalhar”, relatou Silva.
O comandante da 238º Companhia da PM de Jaíba, Ricardo Rondinele, diz que a situação melhorou com o apoio da comunidade. No entanto, a falta de efetivo e de uma comarca na cidade dificulta o trabalho. Atualmente, o município tem 22 policiais militares e nove civis, o que soma 31 agentes. Seguindo o parâmetro da Organização das Nações Unidas (ONU), que recomenda um policial para cada 250 habitantes, o déficit em Jaíba seria de 103 policiais.
Isso sem contar o policiamento no projeto Jaíba, que fica a cerca de 50 km da cidade e já concentra cerca de 25 mil pessoas, entre trabalhadores e residentes. “São cinco policiais para fazer frente a uma área enorme, com várias empresas e vilas. Não temos como manter o policiamento 24 horas”, alertou Rondinele.
Único delegado da cidade, Breno Itamar de Oliveira afirmou que o problema maior da Polícia Civil é a falta de cadeia, de fórum e de um centro para menores infratores. “É muito difícil reduzir a violência desse jeito. A gente prende, e logo o criminoso está solto”, concluiu o policial.

Agente penitenciário impede tentativa de fuga na Cadeia de Espinosa

Um agente penitenciário impediu, na manhã desta quinta-feira (15), a fuga de vários presos da Cadeia Pública de Espinosa, no extremo Norte de Minas Gerais. Segundo a Polícia Militar, o agente percebeu a movimentação dos presos e pediu reforços das Polícias Civil e Militar.
Ainda segundo a PM, os presos abriram um buraco na parede da cela três, onde havia 10 presos, mas ninguém conseguiu fugir. No local foram apreendidos objetos que teriam sido usados para quebrar a parede.
A Cadeia de Espinosa tem quatro celas onde estão presas 41 pessoas.


Pablo de Melo
pablo-labs@hotmail.com

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Em Porteirinha homem mata a mulher a golpes de enxada após disputa por R$ 60 do Bolsa Família

(O Tempo) A polícia está a procura de um soldador, de 32 anos, suspeito de matar a esposa, da mesma idade, a golpes de enxada. O crime foi em um bairro conhecido como Cidade Alta, na cidade de Porteirinha, no Norte do Estado, na última segunda-feira (6). A motivação seria uma disputa por R$ 60 do Bolsa Família.
Neste domingo (12), um site de notícias informou sobre a prisão do acusado. No entanto, a informação não foi confirmada pelas polícia de Porteirinha e Janaúba, responsáveis pelo patrulhamento na região. A delegacia de plantão também não confirma a prisão.
De acordo com a Polícia Militar, os dois teriam começado uma discussão motivada por R$ 60 do programa Bolsa Família. Segundo vizinhos da vítima, que era lavradora, o suspeito não concordava que ela ficasse com o dinheiro e vice e versa.
Nervoso, o homem pegou uma enxada e desferiu dois golpes na cabeça da mulher. Ela morreu na hora. Após o crime, o suspeito fugiu em direção a um matagal e, até o momento, segue foragido.
Segundo a Polícia Militar, o casal morava sozinho.


Pablo de Melo
pablo-labs@hotmail.com

Produtores de Janaúba temem importação de banana colhida no Equador

A aposentada Adelaide Carvalho custou a abrir mão da fruta de seu próprio sítio e não tem vontade de experimentar a importada
(Por Paulo Henrique Lobato e Carolina Mansur) Produtores brasileiros de banana estão apreensivos com a possibilidade de o governo federal abrir a porteira para a importação da fruta colhida no Equador. O país vizinho pressiona o Palácio do Planalto com a justificativa de ter cumprido os requisitos fitossanitários exigidos pela Organização Mundial de Comércio (OMC). Já os agricultores daqui temem que a entrada do alimento introduza pragas que não existem nas plantações nacionais, afetando a produtividade e aumentando o custo com a safra. Além disso, a entrada do fruto importado faria despencar seu preço no mercado. A União deve se posicionar definitivamente sobre o assunto nas próximas semanas. 
O Equador é o maior exportador da fruta. Um dos interesses pelo mercado daqui se deve aos efeitos da crise internacional: os Estados Unidos e a Europa, grandes compradores da fruta, reduziram a demanda em função da crise, causando um excesso de mercadoria na nação latina. Para os equatorianos, a abertura do mercado brasileiro pode reduzir essa perda. 
“Somos autossuficiente na produção de banana. Para ter ideia, a banana é a única fruta produzida em todos os estados do país. Não precisamos importá-la. Ao contrário, exportamos 5% da produção. O percentual só não é maior porque o consumo interno é grande. O faturamento anual do setor, que emprega 2,5 milhões de pessoas (vagas diretas e indiretas), fica em torno de R$ 10,2 bilhões”, disse Dirceu Colares, presidente Confederação Nacional dos Bananicultores(Conaban).
O Brasil é o terceiro produtor mundial de banana, com cerca de 7,5 milhões de toneladas, atrás apenas da Índia e da China. Minas Gerais, com 687,3 mil toneladas dessa fatia, é o quarto maior produtor no país, depois de São Paulo (1,2 milhão de toneladas), Bahia (1,1 milhão de toneladas) e Santa Catarina (689,8 mil toneladas). 
O valor da fruta sobe acima da inflação oficial no país. Comparando julho de 2013 com o mês do ano passado, o quilo da banana Nanica, também chamada de Caturra, subiu 6,9% na Ceasa Minas, o maior entreposto do estado. “Fechou o mês passado em R$ 0,93. Já o da variedade Prata aumentou 9,4% no mesmo período, encerrando em R$ 1,51”, comentou Ricardo Martins, da seção de Informações da Ceasa Minas. As duas variedades subiram pouco mais que a inflação no acumulado dos últimos 12 meses, que ficou em 6,27%, segundo o Índice de Preço ao Consumidor Amplo (IPCA), medido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
Segundo a Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), a receita gerada pela fruta em Minas foi de R$ 700 milhões em 2011, ano do último balanço disponível, representando um crescimento de 63% acima do apurado em 2010. Ainda de acordo com a pasta, os três maiores produtores em Minas estão na Região Norte: Jaíba (82 mil toneladas), Janaúba (58,1 mil toneladas) e Matias Cardoso (48,5 mil toneladas).

BLOQUEIO Produtores brasileiros, auxiliados pela Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), manifestaram a representantes do Congresso Nacional e ao ministro das Relações Exteriores, Antônio Patriota, o receio da entrada de novas pragas com a possível importação de bananas do Equador. O grupo aguardará a divulgação de um documento chamado de Análise de Risco das Pragas, mais conhecido pela sigla ARP, pelo Ministério da Agricultura. 
A expectativa é de que o documento seja divulgado antes do próximo dia 20. “Se for a nosso favor, tudo bem. Se não, vamos acionar nossos técnicos. Para controlar as pragas daqui, pulverizamos a plantação cinco vezes ao ano. Lá são mais de 50 vezes por ano”, critica o presidente da Conaban. Procurado pela reportagem, o ministério não se posicionou sobre o assunto

Onair Ambrósio da Fonseca, que vende a banana em sua loja no Mercado do Cruzeiro, faz questão de buscar o produto perto de BH
Preferência nacional
Comum no cardápio do brasileiro, a banana também não fica de fora das refeições da aposentada Adelaide Carvalho. Ela e o marido fazem questão de ter em casa diversas variedades da fruta. “Compramos a banana da terra, a maçã e a prata para consumir no almoço e no lanche”, lembra. Mas a ideia de comprar a banana importada, pelo menos por enquanto, não agrada a aposentada. “Por muito tempo consumimos a banana que plantávamos no sítio, demorou muito tempo para nos acostumarmos com a banana do sacolão. Não tenho interesse em consumir uma importada, que deve ser mais artificial”, confessa ela, que lembra que saber a origem da fruta é importante para garantir o sabor e a qualidade da banana. 
Já a psicóloga Ana Cristina Vital acredita que a entrada do produto no país poderá pressionar os preços brasileiros, que são mais caros. “Enquanto as frutas lá são mais bonitas, as nossas são mais caras. Mas, se a fruta que chegar aqui for de qualidade e tiver um preço melhor, teria interesse em comprá-la”, afirma. Ana Cristina, que usa a fruta no preparo de receitas, vitaminas e como sobremesa, garante que o consumo da banana equatoriana deve ser encarada uma opção. “Comemos tantas frutas que vêm de outros países, como o pêssego, maçã e cereja, que a banana seria só mais uma”, afirma. 
Por nunca ter visto e nem experimentado banana importada, o proprietário da banca Seleção de Frutas, que fica no Mercado do Cruzeiro, Onair Ambrósio da Fonseca, recebe a notícia de uma possível importação com desconfiança. Ele conta que seu principal fornecedor de bananas fica em Ravena, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, e que, devido à proximidade, oferece sempre um produto fresco, o que atrai a clientela. “A qualidade poderia ficar comprometida em função do tempo para chegar ao consumidor final. A banana que vem da Bahia, por exemplo, chega judiada para a gente”, explica. 

Homem de 60 anos tem parada cardiorrespiratória em Nova Porteirinha no Dia dos Pais

Um homem de 60 anos, pai de três filhos, foi socorrido pelo plantão do Corpo de Bombeiros de Janaúba, nesse domingo (11), Dia dos Pais, no município de Nova Porteirinha.
Os bombeiros foram acionados para uma suposta ocorrência de crise convulsiva, quando chegaram ao local constataram que se tratava de uma parada cardiorrespiratória.
O homem foi reanimado com um desfibrilador e encontra-se internado na UTI do hospital regional de Janaúba. Seu estado de saúde não foi divulgado pelo hospital.


Pablo de Melo
pablo-labs@hotmail.com

domingo, 11 de agosto de 2013

Vereadores de São João da Ponte rejeitam contas da ex-prefeita Gervacina Santos

GERVACINA FERREIRA SANTOS
(Por Fábio Oliva) Vereadores de São João da Ponte, na região Norte de Minas Gerais, deram passo no sentido mudar a história de corrupção e impunidade  que há décadas impera no município. Eles acabam de rejeitar as contas da ex-prefeito Gervacina Ferreira Santos (foto), 66 anos, relativas a 2004. Por dez votos a favor, prevaleceu o parecer emitido pelo Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCE-MG), que apontou irregularidades na aplicação das verbas públicas e opinou pela desaprovação das contas prestadas pela ex-prefeita. O único vereador que não participou da votação foi Marizan Ferreira da Silva (PT), que se recupera de uma cirurgia.
O presidente da Câmara Municipal de São João da Ponte, vereador Paulo Simão Campos (PPS), elogiou a atitude dos vereadores que, quase por unanimidade, mantiveram o parecer do TCE-MG. Segundo ele, assim que o parecer chegou à Câmara Municipal, foram intensas as articulações do grupo político ligado à ex-prefeita no sentido de convencer os vereadores a rejeitarem o parecer e aprovarem a prestação de contas. Para derrubar o parecer do TCE-MG seriam necessários dois terços (2/3) dos votos dos 11 vereadores pontenses.
Simão anunciou ainda que na semana passada chegou à Câmara Municipal de São João da Ponte o parecer do TCE-MG recomendando a rejeição das contas prestadas pelo ex-prefeito Fábio Luiz Fernandes Cordeiro, vulgo Fábio Madeiras (PTB). A administração de Madeiras protagonizou um dos maiores casos de desvios de recursos já ocorridos no município.

FRAUDE EM CONCURSO
A administração de Madeiras também é investigada pelo Ministério Público de Minas Gerais por outro caso de corrupção: fraude em concurso público.
Segundo o MPMG, há indícios de irregularidades cometidas por empresas contratadas para elaborar as provas nos municípios de São João da Ponte, Matias Cardoso e Augusto de Lima.
Essas empresas favoreciam pessoas indicadas pelo Executivo, entregando-lhes respostas corretas das provas aplicadas. Os atuais prefeitos destas cidades assinara Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o MPMG, se comprometendo a investigar as denúncias de fraudes e, caso comprovadas, realizar novo concurso.
Em São João da Ponte, o prefeito Sidinei Pereira da Silva, vulgo Sidiney Gorutuba (PSD), em maio deste ano, assinou o TAC cancelando o concurso feito em 2010 para preencher 357 cargos com salários de até R$ 1.500,00. O promotor Célio Dimas Ruas informa que o prefeito se comprometeu a realizar novo concurso até dezembro deste ano. A multa pelo descumprimento do TAC é de R$ 5.000,00 por servidor irregular.
De acordo com o MPMG, a Seletiva Concursos, Auditoria e Treinamentos, de Belo Horizonte, foi contratada sem licitação pelo ex-prefeito Fábio Luiz Fernandes Cordeiro (PTB) para realizar o concurso e supostamente favorecer pessoas ligadas ao seu grupo político. As provas foram aplicadas para 2.650 candidatos que disputavam 357 vagas com salários entre R$ 550 e R$ 1.500.

Idosa de 72 anos é amarrada durante assalto a fazenda em Salinas

Na noite sábado (10), dois homens assaltaram uma fazenda na zona rural de Salinas, Norte de Minas Gerais. De acordo com a Polícia Militar, os suspeitos renderam e amarraram com uma corda a dona da propriedade, uma idosa de 72 anos.
A senhora sofreu ferimentos leves, foi encaminhada ao hospital, sendo atendida e liberada. Os homens levaram a quantia de R$ 5 mil reais e fugiram e, ainda, não foram localizados.


Pablo de Melo
pablo-labs@hotmail.com